LOS LUCHOS – COSTA NOVA – CAIS CRIATIVO

Los Luchos – Costa Nova – Cais Criativo

Los Luchos - Costa Nova - Cais Criativo

Tudo começa com um coração em fogo.

“Heart on fire” foi a versão (a música original é de Albert One) que serviu de arranque, e que arranque, aos Los Luchos.

Marina Jovanovic na voz da versão, Paulo Barreto nos comandos do projeto inteiro, com muito para tirar de anos de uma gaveta que já transbordava.

Reuniu músicos e produtores à volta de um EP e, no final do ano passado, saiu um ambicioso “EP of the Year” com quatro canções originais: Baker Girl, L’Amour et La Maison, Panama Paper, Sweet Jam of Mine, são as primeiras acompanhantes dos Luchos.

Não é confidencial: no último sábado de julho, tudo aquilo de que precisamos é de amor e um Cais.

in 23 Milhas – julho-agosto-setembro 2017

No poximo Sábado, Los Luchos tocam na Costa Nova no Cais Criativo pelas 21:30, com dj set agendado dos próprios.

Bilhete: € 8,00

Queres receber mais notícias como esta?

Assina a nossa newsletter e além disso recebe um artigo exclusivo como misturar em vinyl.

Ballroom Open Air

Ballroom

Ballroom

Corria o ano de 2014 e “alimentado” pelo background e experiência de duas produtoras/agências a Prime Music e a Stimpy, nascia o projeto Ballroom.

Tendo como exigência principal a música eletrónica alternativa e marcado por uma busca incessante de novos “palcos”, ao longo dos últimos 3 anos o Ballroom tem tido como protagonistas uma seleção de artistas internacionais e nacionais, que lhe têm garantido uma visibilidade de destaque na cultura underground do nosso país.

Este é o ADN do Ballroom.

Ballroom Open Air

Ballroom Open Air

Em parceria com o projeto 23 Milhas, as edições Ballroom Open Air acontecem no Cais Criativo da Costa Nova durante os meses de verão.

Realizou-se a 15 de Julho a primeira edição deste evento tendo já data marcada para 9 de Setembro no mesmo local a 2ª edição.

Duas tardes de verão até ao sol se pôr, com vista para as dunas da Praia da Costa Nova!

Nós estivemos presentes na 1ª edição e podemos afirmar ter sido uma experiência para repetir.

Ballroom Open Air

Ballroom DJ’s

Os dj’s da Ballroom são: Zé Nuno e Sam U:

Zé NunoZé Nuno é uma das caras da agência/produtora Prime Music e do seu projecto Ballroom.
Assume-se como um divulgador de música através do seu trabalho como DJ e do envolvimento na produção de eventos.
O fascínio pelo djing e uma busca constante pelo conhecimento ao nível da técnica e selecção, acabaram por amadurecer o seu gosto pelo house e techno nas sua vertentes mais underground.
Coleccionador e digger devotado, é dono de uma selecção exigente e ecléctica, que resulta de uma identidade musical construída ao longo de mais de uma década.
A viagem musical não tem limites impostos, apenas um elevado requisito de qualidade!
Sam UEm 2004 ainda muito novo, Samuel, mais conhecido porSam U e tornou muito mais do que isso.
Na sua cidade Natal, Guarda, cruzou os primeiros discos, definindo desde cedo o gosto pelo House e por tudo o que advém da música electrónica dita com qualidade.
Teve oportunidade de actuar em vários clubes e integrar cartazes de grandes eventos, permitindo-lhe partilhar a cabine e acompanhar vários artistas nacionais e internacionais de renome.
Nos últimos anos integrou a agência Prime Music, de Aveiro, e é um dos artistas residentes do seu projecto de maior destaque : o Ballroom.
JêPê

Queres receber mais notícias como esta?

Assina a nossa newsletter e além disso recebe um artigo exclusivo como misturar em vinyl.

Sensible Soccers – Sábado 21:30 – Cais Criativo – Costa Nova

Sensible Soccers – Costa Nova – Cais Criativo

Sensible Soccers

Em 2013, os Sensible Soccers puseram milhares de pessoas a olhar para nove homens a dançar descoordenadamente durante dez minutos.

Era o videoclip de “Sofrendo por você”, que os tornou muito rapidamente os meninos bonitos da cena eletrónica alternativa.

Em 2014, lançam o seu primeiro longa-duração, ainda eles eram quatro, intitulado “8”, unanimemente considerado pela imprensa nacional como um dos melhores discos editados nesse ano.

Já eram os meninos bonitos de toda  a gente. Em 2016, passam a trio, sai “Villa Soledade”, segundo disco. Mantêm o título. Sem esconderem o gosto pelas melodias pop, na construção dos seus temas fogem ao formato tradicional de canção, optando maioritariamente por estruturas e arranjos em progressão.

Ao vivo, a sua música ganha uma energia extra, que a torna supreendente até para quem os conhece bem. Vale a pena fazer como no videoclip, dançar descoordenadamente, sem contabilizar o número de visualizações.

in 23 Milhas – julho-agosto-setembro 2017

No poximo Sábado, tocam no Cais Criativo na Costa Nova pelas 21:30, com dj set agendado de Zé Nuno/Prime.

Bilhete: € 8,00

Queres receber mais notícias como esta?

Assina a nossa newsletter e além disso recebe um artigo exclusivo como misturar em vinyl.

Cais à Noite – 6 noites de Música Eletrónica

Cais à Noite – 6 noites de Música Eletrónica

O projeto 23 Milhas é um projeto de transformação cultural do município de Ílhavo, que se foca no conteúdo cultural e que abandona a ideia de Centros Culturais.

Em quatro espaços, Laboratório, Fábrica, Casa e Cais, é dinamizado um plano holístico para a cultura, valorizando o património imaterial ilhavense, integrando a comunidade nos processos de criação, levando mais artistas ao concelho e o concelho ao mundo.

Um projeto dinâmico nas várias áreas de criação artística, música, teatro, dança, arquitectura, design, ilustração e cinema, que aposta tanto na contemporaneidade, como nos típicos eventos e rituais ilhavenses.

Promover a criação e o pensamento e cultivar a relação entre criador e espectador. A cultura do dia-a-dia.

Cais à Noite

Surge assim o Cais à Noite, no Cais Criativo da Costa Nova, cabo de amarração na melhor eletrónica nacional, a new-wave disco dos Mirror People, o je ne sais quoi dos Sensible Soccers, a libertação dos Los Luchos, a contemplação dos First Breath After Coma, o desenfreio dos Holy Nothing e a pop sedutora dos White Haus são seis dos motivos para atracar no Cais Criativo da Costa Nova, em ìlhavo, e mostrar que as dunas, mais do que divãs, são pistas de dança de excelência.

Além das atuações dos projetos eletrónicos o Cais à Noite prolonga-se pela noite dentro com alguns dos djs mais influentes da região que servem de digestivo aos concertos e que garantem a produção de endorfina pela noite dentro.

Mirror PeopleEste sábado tivemos a participação dos Mirror People, proposta do mentor Rui Maia, bateria eletrónica, sintetizadores e voz mais Johnny Abbey, voz e guitarra e João Pascoal, baixo, drum pad e voz.

Rui Maia está no meio da América, durante uma tour com os também seus X-Wife, quando imagina os Mirror People, imagina um projeto que junta influências da “pop eletrónica” dos anos 80 com sons atuais da música de dança e, em “Voyager“, disco de estreia da banda, concretiza o sonho americano.

Mirror People

As ideias não param de surgir e, depois do sucesso da primeira viagem, Rui Maia convida o vocalista Johnny Abbey para, juntos, darem à luz “Bring the light”, o segundo disco dos Mirror People.

Quando o som dos Human League, Prince ou Soft Cell colidem com o universo dos Hot Chip, Chromatic ou Daft Punk, o resultado vem embrulhado em dois discos que têm a certeza que sabem dançar.

Os Mirror People inauguraram a pista de dança do Cais à Noite com um desempenho baseado no seu último trabalho.

Mirror People

Um concerto onde Rui Maia quis presenciar os presentes com uma comparência a preto e branco, várias vezes, o também radialista, pediu à equipa técnica para baixar as luzes de forma a manterem-se no escuro, dizendo inclusive que “tinham night-vision”.

Cais à Noite

Ainda no mês de Julho atuam os Sensible Soccers, a 22, os Los Luchos, a 29, em Agosto,a 19, os First Breath After Coma sobem ao palco do Cais à Noite , a 26 é a vez dos Holy Nothing e para terminar o ciclo os White Haus encerram-o a 23 de Setembro.

Queres receber mais notícias como esta?

Assina a nossa newsletter e além disso recebe um artigo exclusivo como misturar em vinyl.

Sónar Barcelona 2017

Sónar Barcelona 2017 – 14, 15, 16 e 17 de Junho

Sonar 2017

Este Junho rumámos à capital da Catalonia, para assistirmos ao Festival de Música Eletrónica Sónar Barcelona 2017, o qual é dividido em três partes:

Sónar by Day, Sónar by Night e dentro do Sónar by Day o Sónar +D.

Sonar imagem

Passo a explicar: o primeiro começa às 13:00 e termina às 24:00 e é realizado de Quinta a Sábado, sendo preenchido com nomes menos conhecidos do público em geral à excepção de um ou outro Dj ou Grupo.

O segundo, tem o seu início às 21:30 e fecha as portas às 7 horas da manhã, preenchendo as noites de Sexta e Sábado. É assim no fim de semana que se pode assistir aos concertos e Dj sets dos nomes mais conhecidos do panorama musical eletrónico.

E o terceiro tem a sua realização dentro do Sonar by Day começando às 10:30 da manhã e terminando por volta das 20:00 da Tarde. O +D é constituido por uma série de Talks, Workshops, Market e ainda uma Networking Area.

Bjork
<> on June 14, 2017 in Barcelona, Spain.

Este ano tivemos um Dj set especial de 4 horas da islandesa Bjork na noite anterior ao início do Festival Sónar Barcelona 2017, concretamente na Quarta-Feira, das 20.00 horas às 24:00, para o qual era preciso um bilhete extra ao Festival para se assistir ao mesmo. A cantora apresentou-se toda de branco com um chapéu e a cara tapada com uma máscara.

Bjork
<> on June 14, 2017 in Barcelona, Spain.

E o Festival encerrou as portas com uma Closing Night intitulada “Death Speaks” por David Lang interpretada por Stargaze e Nico Muhly.

O Sónar realiza-se em dois recintos, a parte de dia no Fira Montjuic e a parte de noite no Fira Gran Via existindo autocarros para fazerem o transfer entre estes dois espaços.

Bjork Dj Set – Opening Night – Sónar Hall

Bjork
<> on June 14, 2017 in Barcelona, Spain.

Vamos começar pela noite de Quarta-Feira, o dj set de Bjork, teve início por volta das 20 horas, como estava marcado e apresentou-nos uma Bjork vestida com um fato que nos deu a sensação de ser uma árvore com um chapéu de aba alta e uma máscara a tapar-lhe a cara.

Deu início à sua atuação com temas muitos calmos, aliás foi preciso esperar quase uma hora para começar a sentir-se algum ritmo, mas quando arrancou, arrancou mesmo. O seu set foi todo construído com base em músicas em língua portuguesa (fado), espanhola, árabe e inglesa.

Bjork

Foram quatro horas muito bem passadas em que a ex-Sugarcubes lançou achas para uma fogueira de House, Tecno, Rock, Pop, Trap e Break Beat, entre outros.

Antes do espetáculo fomos presenciados com uma paella num networking dinner no espaço Sonnar Village by Estrella Damm, passavam já alguns minutos das 19.00 e comemos rapidamente para não perdermos pitada de Bjork.

Sónar by Day – Fira Montjuíc

Sónar by day

Na quinta feira no espaço Sónar +D assistimos ao Google AI Showcase: How machine learning and artificial intelligence are changing the art of the future com Kenric McDowell (Google AMI), Douglas Eck (Magenta) e Freya Murray (Google Arts & Culture Lab), ficando-nos na retina o projeto Magenta, um projeto da Google que combina arte e música com aprendizagem automática especialmente a geração de novos sons a partir de sons originais. Podem se informar mais em https://magenta.tensorflow.org/welcome-to-magenta.

Marcámos presença ainda em How to Blockchain for Artists, Labels and Fans com Peter Harris (Resonate Plataform), Cliff Fluet (Lewis Silkin), Blanca Rego (Artist) e o Moderador Bas Grasmayer (Idagio), em Creative Technologies Café com Tarrik Barri, Naomi Schipfer e Takami Nakamoto (Nonotak), Alba G. Corral (Creative Coder), Santi Vilanova e Eloi Maduell (Playmodes) e o Moderador DJ Pangbum e ainda An Eye to a Virtual Future com Jessica Brilhart (Google), Jess Engel (Within), Gabo Arora (LightShed) com o Moderador Jeremy Boxer.

Arca

Nos palcos do Sónar by Day assistimos à atuação de ARCA (live) e Jesse Kanda (av) uma atuação muito ao estilo de Freddy Mercury com um som muito próprio e que nos apresentou o seu último trabalho misturando atmosferas obscuras com ritmos latinos. O artista Venezuelano marcou presença no SonarHall.

Ainda tivemos tempo para ouvir Craig Richards, o DJ Inglês que durante 18 anos foi residente no lendário clube Fabric, no SonarVillage o palco principal do Sónar by Day .

Boris Chimp 504Fomos ainda convidados para assistir à atuação dos únicos portugueses representados no Festival, os Boris Chimp 504, mas a essa hora estivemos presentes numa das talks do dia. Para terem uma ideia o duo lisboeta representa uma performance audiovisual em tempo real que enfatiza audio sintetizado e linguagens gráficas numa estética Sci-Fi futurística.

Na sexta-feira, de manhã, assistimos à conferância How our robots will charm us (and why we want them to) com Carla Diana e Coding + Creativity por Ayah Bdeir (LittleBits), resumindo a primeira foi sobre a forma de os robots nos seduzir e a segunda uma maneira de programar usando blocos tipo lego muito adequado a crianças.

Da parte da tarde marcámos presença na Talk Ableton Presents Dj Shadow in conversation with Tony Nwachukwu aonde o Dj e Produtor falou-nos um pouco do seu trajeto e a sua particular abordagem à Produção, uma entrevista muito interessante.

Sónar by Day

Aitor EtxebarriaEm relação a concertos e DJ sets, começámos por assistir a um Live do espanhol Aitor Etxebarria no SonarComplex, uma performance com sintetizadores, viola, baixo, violino e violencelo, muito refrescante, para acalmar a mente dos sons mais eletrónicos e duros do Festival.

Fat Freddys DropAssistimos ainda a uma participação dos Neozelandeses Fat Freddy’s Drop no SonarVillage que nos apresentaram uma performance cheia de vida e ritmos, com uma presença em palco animalesca, tendo inclusive um dos elementos da banda saltado a vedação e entrado em contato com o público. A esta hora caíram os únicos pingos de chuva do Festival: uma nuvem isolada que passou pelo recinto.

Damian LazarusE para terminar esta tarde do dia de Sexta-feira assistimos ao Dj set do inglês Damian Lazarus, o qual aguardávamos com alguma ansiedade e este não nos defraudou. Com a cabine de dj decorada com candelabros e flores (Havia uma menina, muy guapa, no meio do público a distribuir flores) o performer apresentou-nos um set onde misturou o Tecno com o Soul e também temas mais tribais.

Altura para apanharmos o autocarro que nos levaria ao Sónar by Night.

No Sábado e ainda no Sónar by day resolvemos tirar uma folga e visitar a cidade de Barcelona, se consultarem o Line Up para esta tarde facilmente se apercebem que os DJ’s eram muito pouco conhecidos.

Sónar by Night – Fira Gran Via

Masters at WorkNo Sonar by Night assistimos ao início do set de 6 horas no SonarCar dos Master at Work em que o duo norte americano Little Louie Vegga e Kenny Dope Gonzalez nos presenciaram com alguns dos melhores temas de Underground House Music com alguns vocais, mas não só, também andaram pelo House mais rude.

Nicolas JaarDegustamos também o Live de Nicolas Jaar, o qual ficamos muito impressionados com a quantidade de fans que estavam no SonarPub.

SoulwaxChegou a altura para nós do ponto alto da noite, ou melhor da madrugada, a atuação dos Belgas Soulwax que nesta digressão de apresentação do novo trabalho atuam com três bateristas e dois sintetizadores analógicos. Uma explosão de ritmo punk eletrónico. Ficámos a pedir mais. Os membros da banda também atuam sobre o nome de 2 Many Dj’s.

Ainda tivemos tempo para terminar a noite com mais alguns temas dos Master at Work que como prometido fizeram uma incursão por alguns clássicos, estou-me a lembrar de Fired Up dos Funky Green Dogs.

Uma coisa é certa, há tanto para ver, de grande qualidade e não há tempo para o fazer uma vez que as atuações muitas vezes são em simultâneo e como é do conhecimento não é possível estar em dois sítios ao mesmo tempo.

Tempo para descansar e dormir um pouco.

No Sábado, começámos por assistir à atuação de Ylia, dj espanholha com um set de tecno muito dançável e bastante audível. Uma surpresa muito agradável, no SonarLab.

CerroneNo SonarClub e provando que o Sónar é muito eclético tivemos a oportunidade de assistir ao inicio da performance do francês Cerrone, discosound a metro.

Carl CraigAinda no SónarLab assistimos a um dos momentos da noite com a prestação de Carl Craig e a Versus Synthesizer Ensemble, liderada por Francesco Tristano, idealista do conceito aqui apresentado. Mistura do tecno de Carl Craig com uma linguagem sinfónica. Grande momento.

Seth Troxler & TigaAltura para nos dirigirmos ao SonarCar para presenciar in loco à prestação do dj set de Seth Troxler & Tiga que tocaram durante seis horas.

De La SoulPassámos para o SonarClub, local aonde estivemos a ver De La Soul que além de apresentarem o último trabalho, mostraram que são uma party band, tendo inclusive “obrigado” os fotógrafos a colocar as mãos no ar e interagirem com eles. Mais uns animais de palco.

VitalicNo SonarPub a penúltima atuação da noite a que assistimos pertenceu ao Live de Vitalic, uma espécie de Jean Michell Jarre moderno com um toque minimalista a nível de visual. Para nós o segundo momento da noite.

The Black MadonnaPara completar a noite e terminar a nossa presença no Festival deliciámo-nos com o dj set de The Black Madonna, que teve definitivamente o grande salto à primeira divisão dos dj’s em 2016.

E pronto, fica aqui um breve resumo dos quatro dias de Festival, e esperamos para o ano contar como foi a nossa experiência no Sónar 2018.

Queres receber mais notícias como esta?

Assina a nossa newsletter e além disso recebe um artigo exclusivo como misturar em vinyl.